TALES DO CRYPT: 10 histórias de terror de cadeia de blocos e bitcoin para os tempos

Reúna-se para este flashback especial de notícias de criptografia que lhe dará um cobertor HODLing. Cuidado com o aperto de morte nas carteiras de bitcoin!

Doze anos desde que Bitcoin começou tudo isso, o futuro da moeda criptográfica da cadeia de bloqueio e de outras tecnologias relacionadas parece estar brilhando. A DeFi continua a atingir novos máximos vertiginosos; o apetite dos investidores pela cadeia de bloqueios nunca foi tão grande. Mas com o Halloween em nossas portas, agora pode ser um bom momento para recordar alguns horrores criptográficos de não muito tempo atrás.

Reúna-se agora para estes 10 Contos da Cripta da vida real, trazidos por Forkast.News. O brilho do mundo criptográfico está agora quase cegando – ou isso é um brilho de uma faca de um hacker?

1. Os poderes acima dizem „BOO!“

Imagine se escravizar para construir uma empresa de cadeia de bloqueio ou afundar suas economias de vida em uma moeda criptográfica como o bitcoin, apenas para acordar para a notícia de que seu país proibiu o comércio de criptografia.

Agora, o machado provavelmente não cairá sobre você sem aviso prévio. A ambivalência e o recuo da Índia na regulamentação do criptograma, por exemplo, tem sido muito discutida e divulgada. Até mesmo a China emitiu avisos antes de emitir crackdowns.

Ainda assim, com o nível de confiança e conforto de alguns governos em relação à moeda criptográfica em fluxo, talvez seja prudente ser cauteloso e preparar-se para mergulhar para uma cobertura se necessário. Aqui se espera que os 5 milhões de detentores de moeda criptográfica na Índia – onde há rumores de que outra proibição de criptografia está sendo considerada – estejam fazendo exatamente isso antes que qualquer novo relâmpago anti-cripto seja lançado de cima para baixo.

2. Fortunas de bitcoin em extinção

É um pesadelo recorrente de qualquer pessoa com uma carteira digital. Todos nós esquecemos as senhas. É para isso que serve o Autofill do Google, e por isso muitos de nós – contra os melhores conselhos dos especialistas em segurança – usamos as mesmas senhas em sites diferentes. Muitos de nós também perdemos carteiras do mundo real com dinheiro dentro para carteiristas ou descuido. Mas esquecer ou perder a chave de sua carteira digital? Agora, há um pensamento assustador.

A maioria das pessoas não costuma carregar dezenas ou mesmo centenas de milhares de dólares em nossas carteiras físicas – mas um pouco de carteira de moedas pode. Desde Elon Musk, que perdeu sua única bitcoin, até seu Redditor casual diário de 40.000 dólares, passando por Peter Schiff alegando que „[sua] carteira não reconhece mais [sua] senha correta“, até a revista Wired, que perdeu a chave para 100.000 dólares em bitcoin, muitos proprietários de moedas digitais – incluindo os mais experientes – viram seu dinheiro criptográfico, por acidente, azar ou estupidez, desaparecer para sempre.

O tamanho deste cemitério de moedas criptográficas? Todos os dias, cerca de 1.500 bitcoin – ou US$ 20,6 milhões no momento de escrever – é perdido, segundo o analista da Cane Island Digital Research Timothy Peterson, com base na pesquisa de sua firma.

3. O que está na cova, permanece na cova

„Você não pode levá-lo com você“, assim costumávamos dizer, um grito de coeur para aproveitar a vida e seus prazeres materiais enquanto você pode, pois o dinheiro e os bens terrenos não podem ser levados para a vida após a morte.

Mas neste mundo cada vez mais digitalizado, as moedas criptográficas às vezes seguem seus donos até a cova.

Foi o caso do milionário criptográfico Matthew Mellon, que faleceu tragicamente em 2018, a caminho de uma instalação de reabilitação de abuso de substâncias no México. O herdeiro bancário de 54 anos tinha investido US$ 2 milhões em XRP, citando sua compatibilidade com o sistema bancário tradicional como uma vantagem sobre outras moedas criptográficas que lhe pareciam mais „anti-América“. Este investimento cresceu em valor para valer cerca de US$ 1 bilhão na época de sua morte.

Mellon havia dito a amigos que sua fortuna em moeda criptográfica estava escondida em várias contas secretas conhecidas apenas por ele, e que as chaves estavam escondidas em câmaras frigoríficas por todo o país. Quando ele morreu, sua família e herdeiros se viram sem acesso a contas ou chaves.

A fortuna da moeda criptográfica de Mellon ainda não foi localizada até hoje. Ela está no equivalente cibernético de uma cova não marcada e pode ser perdida para os herdeiros de Mellon para sempre.

4. Ghoul fora e vote!

O processo democrático tem amplo espaço para o erro. Alguns afirmaram que as questões na votação oferecem uma oportunidade de reforma por meio de uma cadeia de bloqueio, mas esta solução ostensiva não é isenta de riscos. Voatz, o aplicativo de votação móvel da Overstock, subsidiária da Overstock, Medici Ventures, funciona no Hyperledger e utiliza tecnologia biométrica para verificar a identidade dos eleitores antes de processar seus votos. Até hoje, tem sido utilizado em mais de 67 eleições de conselhos escolares locais através do nível federal.

Mas Voatz teve inúmeras preocupações de segurança apontadas que deram às pessoas calafrios, incluindo mas não limitado a sua vulnerabilidade à invasão, manipulação de votos e a exposição de informações pessoais confidenciais. Em 2018, foi lançada uma investigação do FBI sobre uma tentativa dos estudantes de segurança cibernética da Universidade de Michigan de invadir o aplicativo durante as eleições de meio de mandato de 2018.

Embora sem sucesso, a tentativa destacou o potencial de violação de dados, conforme destacado por múltiplas auditorias. Trememos de pensar no que os hackers mais experientes poderiam conseguir explorando estas vulnerabilidades – qualquer coisa, desde desviar os dados pessoais dos eleitores até decidir o rumo de uma eleição, estaria dentro do reino das possibilidades.

5. Bloqueio em massa de cadeias de bloqueio

O mundo do startup do blockchain está repleto de cadáveres. Dos que nascem, a grande maioria não sobrevive por muito tempo.

Em 2018, He Baohong, diretor da Academia de Tecnologia da Informação e Comunicação da China, afirmou que apenas cerca de 8% dos projetos da cadeia de blocos já lançados sobreviveram à fase de inicialização. Os outros 92% „morrem rapidamente“, com uma vida média de 1,22 anos, de acordo com o discurso de He na China International Big Data Industry Expo.

Os die-offs em massa dos startups da cadeia de produção de blocos ainda se mantêm hoje.

„Muito poucas empresas criptográficas [são] financeiramente sustentáveis e lucrativas“, disse Anton Mozgovoy, co-fundador e CEO do fornecedor de serviços de finanças descentralizadas (DeFi) Holyheld, à Forkast.News. „A maioria dessas empresas são bolsas criptográficas“.

Mesmo as mais aparentemente promissoras startups de cadeia de bloqueio morreram jovens. Uma dessas startups foi a Dala, uma empresa sul-africana concebida em abril de 2018 para trazer serviços financeiros para o emergente mercado africano.

A Dala levantou US$ 1 milhão em uma ICO e acumulou mais de 150.000 usuários, baseados principalmente em Uganda, dentro de quatro meses após o lançamento. Entretanto, o modelo de referência da Dala, que recompensou os usuários por recomendarem outros a seus serviços, „atraiu golpistas“. Além disso, a Dala achou que seus parceiros locais em sistemas bancários e provedores de Internet careciam, e „tiveram que construir ainda mais infra-estrutura do que [eles] previram no início“ devido a suas falhas.

Diante de problemas insuperáveis de infra-estrutura e financiamento, Dala finalmente desistiu do fantasma em junho de 2019, sua expectativa de vida de quase exatamente 1,22 anos.

6. IC… Fantasmas!

Com 81% das ofertas iniciais de moedas em 2018 sendo classificadas como „fraudes“ por um estudo feito pelo Satis Group, não é de admirar que haja uma abundância de histórias macabras da ICO.

O maior esquema de saída até hoje envolveu a empresa vietnamita Modern Tech, que lançou duas ICOs: uma para uma ficha Pincoin, e outra para o iFan, supostamente uma ficha de rede social para celebridades.

Mais tarde, revelaram-se esquemas de marketing multinível, mas naquela época a Modern Tech já havia sangrado 32.000 pessoas, um total de 658 milhões de dólares. Os perpetradores desapareceram como vampiros na noite.

Desde então, sete pessoas foram culpadas pelo esquema da Modern Tech, mas até agora não houve nenhuma notícia de prisão ou reembolso de vítimas.

7. Malditos hackers e ladrões de corpos

Algumas das falhas do ICO – 11% em geral, de acordo com o estudo acima mencionado – causaram sofrimento aos investidores sem nenhuma intenção criminosa por parte dos fundadores da empresa.

O Enigma é um sistema de segurança e criptografia que ironicamente sofreu uma quebra de segurança devastadora em 2017 antes de sua ICO. Os hackers assumiram o website, e-mail e os canais Slack da empresa para enviar informações sobre uma ICO falsa no início, enganando os investidores a depositarem seu ETH em um endereço Enigma falso. US$500.000 de ETH foram roubados antes que a equipe da Enigma pudesse recuperar o controle.

A Enigma assumiu a responsabilidade por sua segurança precária, reembolsando os investidores, sem que isso representasse um pequeno custo para eles. Desde então, a Enigma também tem sido cobrada pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA por negligenciar o registro de sua ICO de 2017 de fichas no valor de US$47 milhões como títulos, pelas quais deve devolver fundos aos investidores, registrar suas fichas, informar periodicamente à SEC e pagar uma penalidade de US$500.000.

8. Esquemas de Zumbi Ponzi

Leitores dedicados do gênero crypto horror sabem que, talvez por causa de suas promessas enfeitiçantes, a indústria do crypto tem sido ocasionalmente o terreno fértil para crimes espetaculares, incluindo um esquema de pirâmide internacional que o Times chama de „um dos maiores golpes da história“.

A OneCoin foi uma empresa que vendeu oportunidades de mineração em moeda criptográfica. Seus criadores lucraram cerca de US$ 4 bilhões antes que a empresa fosse desmascarada como nada mais do que um esquema Ponzi, de acordo com os promotores. Investigações realizadas em todo o Reino Unido, Estados Unidos, Itália, Canadá e Ucrânia desenterraram vítimas em todo o mundo. Mumbai viu uma batida de US$ 3 milhões, enquanto 20 das 34 províncias da China foram chifrados antes que as autoridades recuperassem US$ 267,5 milhões.

O esquema pelo qual as pessoas ao redor do mundo caíram envolvido na venda de „pacotes educacionais“ plagiados, incluindo „fichas de mineração“ que produziriam a OneCoins – que acabou se tornando um bem sem valor, imutável e que não estava nem mesmo em uma cadeia de bloqueio.

A troca foi fechada no início de 2017, mas os websites da OneCoin – como zumbis que não seriam mortos – só caíram em dezembro de 2019, apesar de a empresa ter sido identificada como um risco já em setembro de 2015 pela Comissão de Supervisão Financeira da Bulgária.

Enquanto algumas figuras-chave do escândalo OneCoin foram presas (incluindo um dos dois co-fundadores e um membro da família do outro), o ostensivo mestre (e outro co-fundador) Ruja Ignatova permanece em liberdade, vivendo nas sombras de uma falsa identidade em Frankfurt, de acordo com uma investigação da BBC. Além de ser a origem de inúmeros tormentos e sofrimentos de investidores individuais, OneCoin – talvez mais do que qualquer outra empresa da cadeia de bloqueio – também colocou uma motosserra texana na reputação da indústria de criptografia de moedas.

Um lado bom da devastação da OneCoin: o mundo terá agora um filme da Kate Winslet baseado nesta história verdadeira.

9. As facas estão prontas para trocas de moedas criptográficas

Com o recente hack da KuCoin por uma soma de até US$ 280 milhões ainda fresca em nossas mentes, vale a pena considerar as trocas que continuam sendo invadidas e o perigo contínuo na ausência de uma regulamentação universalmente consistente. O número recorde de 12 grandes violações da segurança das trocas criptográficas em 2019 atingiu um total de US$292.665.886.

Embora os ataques cibernéticos possam não ser o fim do mundo – KuCoin recuperou US$204 milhões de suas perdas até agora – eles mostram como as trocas criptográficas são vulneráveis à pirataria.

Embora os hackers estejam geralmente atrás de dinheiro, os dados dos clientes também foram roubados. O ataque de 2019 à CoinMama vazou informações de 450.000 usuários – talvez até mesmo a sua…. – para os cantos mais úmidos da teia escura.

10. Para o DAO, para dormir – não mais

Para encerrar as histórias assustadoras desta noite, aqui está uma que antecede todas as outras desta lista – a de uma organização autônoma descentralizada (DAO) chamada „The DAO“, cujo hack de 2016 continua a assombrar o ambiente de contrato inteligente até os dias de hoje.

O DAO levantou mais de US$150 milhões em ETH (14% de toda ETH na época) de mais de 11.000 pessoas – o maior fundo de multidão de seu tempo. Mas a equipe por trás do DAO percebeu que seu código continha falhas.

Em 12 de junho, o co-criador Stephan Tual reconheceu que o DAO, assim como outros contratos inteligentes do Ethereum, tinha uma „vulnerabilidade recursiva de chamadas“ que a equipe estava abordando. Menos de uma semana depois, um hacker entrou, explorou esta lacuna e drenou US$ 70 milhões de ETH do DAO.

Felizmente, os fundos roubados foram canalizados para uma conta com um período de retenção, de modo que o hacker acabou sendo frustrado, e o Ethereum trabalhou duro para redirecionar o dinheiro de volta para seus donos originais (nascimento, no processo, do Ethereum Classic – que também foi vítima de ataques repetidos).

Entretanto, a SEC decretou que as fichas do DAO eram títulos – a primeira vez que a agência o fez, em um movimento que continua a esfriar a indústria até os dias de hoje. O próprio DAO entrou em colapso alguns meses mais tarde.

Embora o DAO tenha sido um dos primeiros casos de hacking sério no espaço criptográfico, o tempo só mudou a natureza das vulnerabilidades da cadeia de bloqueios e os males que podem ocorrer nas empresas criptográficas, não as atenuou.

Mozgovoy adverte: „As preocupações com a segurança só vão crescer à medida que a complexidade dos contratos inteligentes aumentar“. Com esse pensamento fantasmagórico em mente…. Feliz Halloween para todos, de todos nós na Forkast.News.

Boa noite e doces sonhos.